• Isabela Merotto

A história do Instituto Reditus


Como começou


A palavra Reditus significa retorno/retribuição em latim, ato que motivou o surgimento do Instituto Reditus. Somos uma associação privada, sem fins lucrativos, formada por alunos e ex-alunos voluntários da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que almejam retribuir à sociedade e potencializar a comunidade da UFRJ para seguir transformando o Brasil.


Nossa história começou a se formar em 2016, quando o ex-aluno Daniel Spilberg, durante seus estudos na UFRJ, recebeu uma bolsa de auxílio do governo para realizar um intercâmbio na França e, em 2011, após formado decidiu retribuir criando a mesma oportunidade para outro aluno. Daniel então, deu uma bolsa para Raphael Sodero Rezende.

Foi assim que Raphael teve não somente a oportunidade de realizar seu intercâmbio na Itália, mas também de ganhar um amigo e mentor.


Passados cinco anos...


Raphael continuou essa corrente e ofereceu uma bolsa através de um processo seletivo, vencido por Henrique Duarte, que cursou um ano de intercâmbio em Portugal. Dessa maneira, surgia a ideia de conectar a rede alumni à Universidade, através da criação de uma comunidade motivada pelo sentimento de retorno e retribuição.


Em 2018, Raphael entendeu que a corrente de retribuição, que era em forma de bolsas de intercâmbio, poderia ser remodelada para gerar impacto em maior escala. Assim, foi idealizado o formato de uma rede de ex-alunos suportada por um Fundo Patrimonial, comum em universidades nos Estados Unidos, mas adaptado à realidade das Universidades públicas brasileiras pelo Amigos da Poli em 2010 (rede de ex-alunos e alunos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo).


Para isso, um grupo de alunos e ex-alunos interessados no projeto, por compartilhar da mesma vontade de retribuir e acreditar no potencial, se uniu e fundou o Instituto Reditus, tendo Daniel como um de seus conselheiros.


Junto a ele, também se juntaram ao time outros conselheiros como: Sidney Levy, Daniel Spilberg, Michele Cunha, Paulo Monteiro, Lucimar Dantas e Cristiane Marsillac. Um ano depois, o Instituto Reditus foi constituído juridicamente como uma associação sem fins lucrativos, estabelecendo sua estrutura formalmente.



Nossa estruturação


No primeiro semestre de 2020, com a organização formalmente estabelecida e processos internos estruturados, iniciamos nossas atividades realizando nosso primeiro programa de impacto, o Programa de Mentoria, que conecta alunos e ex-alunos para troca de experiências.


Estruturamos também o nosso Conselho Fiscal (CF) com Natalie Witte e Gabriela Sabino. Nosso Conselho de Administração (CA) ganhou novos membros como Carlos Brito, Talita Taliberti, Geraldo Thomaz e o Comitê de Investimentos (CI) cresceu com os membros Pedro Batista, Fernando Gonçalves e Eduardo Cardoso! Mais detalhes sobre a nossa governança podem ser encontrados aqui.



Os primeiros resultados


Ao final do 1º ano, captamos o primeiro R$1 milhão do fundo patrimonial e realizamos o 1⁰ Edital de Inovação, no qual repassamos R$100mil reais para 12 projetos da UFRJ.


















Imagens das equipes Minerva Bots (2020), UFRJ Nautilus (2020), Equipe Fernando Amorim (2020) e Minerva Rockets (2020) apoiadas pelo 1º Edital de Inovação do Reditus.


Ao longo do ano de 2021, mais de 75 voluntários trabalharam ativamente para ajudar a transformar a educação no Brasil contribuindo para que a comunidade da UFRJ seja protagonista no progresso social, tecnológico e científico.


Equipe de voluntários Instituto Reditus 2021

No Instituto Reditus, continuamos a expandir a corrente de retribuição e já repassamos mais de R$400 mil reais através do projeto Edital de Inovação que apoiou projetos de ensino, pesquisa, inovação e empreendedorismo e também de inclusão e equidade!



Se interessou e tem vontade de contribuir? Seja também um doador!







85 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo